Cardoso promove curso de artes gráficas

0
90
Justino Cardoso apresentando uma das suas obras

Nampula (IKWELI) – O renomado artista gráfico Justino Cardoso promove, a partir de hoje, na cidade de Nampula um curso sobre artes gráficas para estudantes do curso de arquitectura e planeamento territorial e artes visuais das universidades Lúrio e Pedagógica.

“Há muita exigência e há muita gente a pedir para aprender para poder entrar na arena das artes”, justifica Cardoso, para depois avançar que a iniciativa insere-se no âmbito da celebração dos seus quarenta anos de carreira.

O artista diz que uma experiência anterior com a duração de três meses e financiada pela UNESCO teve resultados positivos, facto que o encoraja a prosseguir sozinho.

“Mas agora vou arrancar com meu programa pessoal. Como sabem coincide com os meus 40 anos de carreira”, explica o nosso entrevistado, que depois prossegue “pensei em arrancar com esse trabalho que será um curso de 6 meses focado em arte gráfica, banda desenhada e, também, expressão gráfica. É para ajudar os estudantes da Faculdade de Arquitectura e aqueles que frequentam a educação visual, por exemplo, na Universidade Pedagógica porque têm tido dificuldade sobre a expressão gráfica e, também, a anatomia, que é a forma correcta de caracterização”.

“Por tanto, vai durar 6 meses e com um número apenas de 30 participantes e acho que vai ser muito bom para os que estão muito interessados e que exigem sempre, que queriam fazer parte disso”, anota Justino Cardoso.

O nosso interlocutor avança que a iniciativa vai ter continuidade no sentido de garantir que outros actores interessados participem em outras ocasiões.

“É preciso abrir espaço e dar oportunidade as outras pessoas porque há sempre uma exigência que queriam, também, aprender e há outros, por exemplo, que querem e já desenham mas não tem conhecimento de várias técnicas, tem certas lacunas. Também, poderão vir, por exemplo, professores de banda desenhada de 6ª e 7ª classe. Eles não costumam aplicar mas, podem vir para terem experiência como devem dar aulas as crianças”, conclui Justino Cardoso. (Aunício da Silva)