Três meses depois de descobertos em vala comum continua desconhecida as identidades dos corpos encontrados em Murrupula

0
158

Nampula (IKWELI) – O Ministério Público em Nampula ainda não tem pistas sobre a proveniência e muito menos a identificação dos corpos descobertos em finais do ano passado em Namukuira, no distrito de Murrupula, numa vala comum [ver edição 227 do IKWELI, de 23 de Outubro de 2018].

Os sete corpos foram depositados por desconhecidos durante uma madrugada e, até ao momento nenhuma pista aponta para o esclarecimento do crime que, vozes locais apontam para o conflito entre traficantes de minérios que operam na região.

A Procuradoria Provincial de Nampula foi a entidade pública que liderou a equipe multissectorial que para lá se deslocou, incluindo agentes do Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC), Medicina Legal e a Polícia da República de Moçambique (PRM).

“A nível processual, existem indicações de causas que levaram a morte daqueles sete indivíduos, mas por se tratar de matéria processual e num processo muito complexo estamos a dizer que é prematuro nós revelarmos agora as causas da morte sob pena de prejudicarmos a continuação da investigação”; anotou a Doutora Hermínia Borca, porta-voz da Procuradoria Provincial de Nampula.

Neste momento, de acordo com a magistrada do Ministério Público, correm trabalhos de identificar quem eram os sete indivíduos, dos quais duas mulheres, e a sua verdadeira origem assim como os meios ou modalidades usadas para o seu despejo nas matas de Namukuira.

“Os corpos foram encontrados num estado avançado de decomposição e temos de determinar quando é que isso aconteceu, logo numa zona recôndita fora de uma área residencial. Portanto, é muito complexa a investigação que está sendo levado a cabo”, concluiu a Doutora Hermínia Borca. (Sitoi Lutxeque)