Sporting de Nampula implacável contra a saída de seus jogadores a custo zero

0
172

Nampula (IKWELI) – Pelo menos três atletas que durante as últimas épocas futebolísticas estiveram a representar o Sporting Clube de Nampula em várias frentes podem estar em risco de não competir na presente temporada futebolística, tudo porque a direcção do clube leonino não os quer dispensar para militarem em outros conjuntos a custo zero.

Segundo apurou o nosso jornal, os atletas Chai, Anrane e o guarda-redes Aníbal já oportunidades de militarem em outros clubes mas, sem a sua compra não será possível a sua “libertação”.

“Enquanto eu for presidente do clube Sporting de Nampula, ninguém sairá de borla”, garante Mussito Júnior, presidente da colectividade.

Depois das boas exibições na temporada passada, apesar da despromoção do Sporting de Nampula na fina flor do futebol moçambicano, alguns emblemas nacionais pretendiam contar com os préstimos dos atletas da fileira sportinguista para a presente época mas, o processo para transferência dos atletas por eles preferidos não foi transparente na óptica da direcção do antigo Namutequeliua.

Segundo apuramos, a maioria desses clubes optaram por tratar o negócio de saída apenas com os atletas sem o conhecimento e/ou consentimento dos dirigentes do clube onde os mesmos atletas tem contrato firmados, alguns até valido para quatro anos.

Chai por exemplo, segundo informações da direcção, estava sendo pretendido pelo Clube de Chibuto e, “eu na qualidade de presidente não recebi nenhum sinal do Chibuto, e disse ao Chai, que se querem te contratar devem entrar em contacto com o Sporting de Nampula, mas o miúdo insistiu, e disse que estava-lhe cortar pernas. Eu disse-lhe que não deveria forçar ir ao Chibuto sem ninguém ligar para mim”.

“Pelo que eu saiba quando um jogador tem contrato com um clube, qualquer um que precisar-lhe deve entrar em contacto com o mesmo clube. Nós tínhamos o contrato com o Chai de quatro anos, e como é que ele vai querer sair do nada?”, comenta Júnior.

Não ficando conformado a posição da direcção, ainda segundo apuramos, Chai emitiu uma carta de rescisão de contrato com o clube Sporting, como forma de flexibilizar com o processo da sua contratação na equipa da província de Gaza.

O que sucedeu depois da resposta positiva a carta, as possibilidades do defesa do ex-Benfica de Nampula ir ao Chibuto estavam esgotadas.

Para Anrane, Mussito conta que o jogador estava sendo cobiçado pelo Ferroviário de Nacala. “Com Anrane aconteceu o mesmo, ele, também, meteu uma carta de rescisão de contrato porque o Sporting não deixava-o sair, e nós respondemos a carta dele, e já não temos nenhum vínculo com ele, e está sentado em casa”, sublinhou o dirigente desportivo.

Para além de Chai, o número um do Sporting clube de Nampula revelou-nos que o Chibuto estava igualmente interessado com as habilidades do guarda-redes Aníbal. Para com este atleta, o representante de Gaza tratou o negócio de maneira secreta, apenas com o jogador. “Eu lhe disse, fale com essas pessoas para entrarem em contacto comigo, e não recebi nenhum contacto do Chibuto, e Aníbal, também, está sentado em casa”.

Outro caso faz referência ao atacante Líneo Maquina, ou simplesmente Nick, que despertou o interesse da Liga Desportiva de Maputo (LDM). A nossa fonte conta que inicialmente os dirigentes da liga entraram em contacto com clube, mas na hora certa virou um processo secreto, ao tratar apenas com o atleta.

“Estava a negociar com Shaf Sidat, só que o Nick fintou-me e acabou assinando com a LDM sem o consentimento da direcção do Sporting de Nampula. Quando chegou a vez de viajar eu disse que não podia porque tinha contrato com Sporting. O Nick só tem que jogar no Sporting de Nampula porque já tem contrato assinado”, pontapeou a nossa fonte.

Por outro lado, Mussito Júnior louva a postura manifestada pelas direcções do ENH de Vilanculos e Baia de Pemba na transferência de Xalito e Marcelo, respectivamente. “A direcção do ENH, também, entrou em contacto comigo, e emprestei o jogador por uma época. O Marcelo, também, já está no Baia de Pemba, porque o presidente do clube entrou em contacto comigo e acabei emprestando o jogador. As coisas são assim”, esclareceu Mussito Júnior.

Refira-se que durante as primeiras semanas dos treinos do pré – época, os jogadores do ano passado não se fizeram presentes. Segundo apuramos, eles reivindicam os salários atrasados do ano passado. (Constantino Henriques)