Sobe o número de clubes inscritos para época futebolística 2019 em Nampula

0
159

Nampula (IKWELI) – Subiu para quinze o número de clubes e equipas filiadas à Associação Provincial de Futebol de Nampula (APFN) para disputarem as competições oficiais da presente temporada futebolística, antes eram apenas sete inscritos.

“Este número significa que estamos a evoluir e isso é de louvar”, disse Samuel Tagir, secretário-geral da Associação Provincial de Futebol de Nampula.

Espera-se que este número venha a crescer uma vez que, a entidade que regula o futebol na província de Nampula, garante que vai continuar a admitir novos clubes ou equipas que manifestarem interesse até a realização do sorteio do campeonato provincial em futebol, vulgo nampulense, cuja data ainda continua uma incógnita.

Para já estão inscritos na APFN o Ferroviário de Nampula, Ferroviário de Nacala e Desportivo de Nacala, formações que vão militar no campeonato nacional, o Moçambola, Sporting de Nampula, Sporting de Monapo e Angoche Clube de Desportos para a segunda liga e as restantes colectividades, nomeadamente Asante Spot Club de Nampula, Goleadores de Nametil, Sporting de Angoche, Benfica de Nampula, Futebol Clube Porto de Namialo, Associação Desportiva de Muecate, União Desportiva da Ilha de Moçambique, Espeinhos Venenosos de Nametil e União Desportiva da Cavalaria, vão participar do campeonato provincial.

Com este número, os dirigentes da APFN já respiram fundo e por conta disso este sábado (06) vai-se fazer o sorteio para a taça de Moçambique, fase provincial, cujo arranque está previsto para próxima semana.

A Associação Provincial de Futebol de Nampula pretende que a primeira fase desta competição seja disputada em zonas, no sistema a eliminar com a excepção dos clubes que militam no Moçambola que poderão entrar a partir da segunda eliminatória da prova. A ideia segundo Samuel Tagir, visa diminuir os custos das equipas. “Imagine só, para filiação as equipas tiveram dificuldades, problemas financeiros, o que por essas alturas pode ser complicado para eles terem que percorrer muitas distâncias de carro mas, tudo vai depender dos próprios clubes sobre as modalidades da disputa da prova”, concluiu aquele dirigente desportivo. (Constantino Henriques)