Rapto de albinos preocupa a PGR

0
472
Amabélia Chuquela, Procuradora - geral adjunta da República visitou Nampula e mostrou-se preocupada com o recrudescimento do rapto de albino
Procuradora - geral Adjunta, Amabélia Chuquela

Nampula (IKWELI) – O recrudescimento dos crimes de rapto e tráfico de pessoas com falta de pigmentação da pele, vulgo albinos, preocupa a Procuradoria – Geral da República (PGR) que se via satisfeita pela calmia registada recentemente.

A província de Nampula é um dos principais palcos da prática de tais actos criminais e, de acordo com Amabélia Chuquela, Procuradora – Geral adjunta da República, nos meses de Fevereiro e de Maio corrente, duas pessoas albinas foram sequestradas nos distritos de Larde e Murrupula.

Segundo a fonte, o Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC) ainda está a investigar os dois casos, sendo que para o caso de Larde ainda não há indiciados, enquanto que para o caso de Murrupula três indivíduos já foram constituídos arguidos e estão sob custódia policial.

No distrito de Larde, a vítima é um menor do sexo masculino que vivia com sua avó, uma idosa, e no distrito de Murrupula, a vítima é uma menor de 11 de anos de idade.

Chuquela disse que há dois anos que crimes deste tipo não se registavam em Nampula, e que estes novos casos preocupam sobremaneira a instituição e a moral da sociedade.

A fonte defende a necessidade de as famílias e as comunidades envolverem-se na sensibilização para que as pessoas entendam que “matar e extrair órgãos de uma pessoa albina não enriquece a ninguém”.

A procuradora – geral adjunta reclama ainda a falta de fluxo de informação entre as instituições que devem combater este fenómeno, incluindo a violação e o assédio sexual de menores.

“Deste modo há a necessidade de se reflectir se as palestras estão a surtir efeitos nas comunidades, nas escolas e nas instituições da Estado e os privados”, disse Chuquela, na cidade de Nampula. (Celestino Manuel)