Depois da tragédia no showmicio do candidato da Frelimo: as verdades e as dores pairam sobre Nampula

0
1192
Momento de exaltacao a Nyusi no estadio 25 de Junho, em Nampula, onde vieram a morrer mais de dez pessoas
  • O simpático comandante provincial da PRM, Joaquim Sive, foi a primeira vítima viva da responsabilização. Foi suspenso pelo ministro do Interior, Basílio Monteiro, por sinal chefe da brigada central do partido Frelimo de assistência a vizinha província da Zambézia.

Nampula (IKWELI) – Ainda ao princípio da noite de ontem, quarta-feira (11), a cidade de Nampula expressava-se triste e com dor de perda de vidas humanas e ferimentos graves de parte dos seus moradores que, voluntariamente ou não, decidiram assistir a um evento de campanha eleitoral orientado pelo candidato do partido Frelimo à presidência da República, Filipe Nyusi, no estádio 25 de Junho, nos arredores do maior concelho autárquico do norte do país.

Tal como reportamos na noite passada, as vítimas encontraram a morte em consequência da cedência de uma banca que resultou na tentativa de se fugir do interior do estado, o que mais tarde veio a causar mortes por asfixiamento.

Oficialmente, de acordo com o director do Hospital Central de Nampula (HCN), Cachimo Molina, contam-se 10 vítimas mortais [todos membros do partido Frelimo], 14 feridos que ainda estão merecendo cuidados nas enfermarias de ortopedia e cirurgia, e ainda 74 outros pacientes receberam alta depois de terem sido assistidas na mesma noite de 11 de Setembro.

Roque Silva, Secretário – geral da Frelimo, garantiu, na manha desta quinta-feira (12), após visitar algumas vítimas internadas no HCN, que o seu partido vai prestar todo apoio necessário para elas e para as suas famílias, incluindo as dos malogrados.

 

Um dos sobreviventes no leito hospitalar
Um dos sobreviventes

Pela voz de Moisés Augusto, director de Inspecção do Comando – Geral da Polícia da República de Moçambique (PRM), a população de Nampula foi informada que Joaquim Sive está suspenso das funções de comandante provincial, cargo para qual foi empossado ainda neste ano.

Com efeito, uma comissão composta por 4 membros da corporação foi criada a mando do ministro do Interior, Jaime Basílio Monteiro, esperando-se que em 15 dias apresentem um relatório pormenorizado sobre o incidente.

A Comissão de Inquérito é constituída por Paulo Chachine (1ª Comissário da Polícia e Comandante do Ramo da Polícia da Ordem e segurança Pública), Domingos Jofane (1º Adjunto Comissário da Polícia e Director-Geral do Serviço Nacional de Investigação Criminal), Abílio Arnaldo (Adjunto Comissário da Polícia e Director do Pessoal e Formação no Comando-Geral) e Ana Cipriano (Superintendente da Polícia e Chefe do Departamento Jurídico do Comando-Geral).

Formalidades fora, o facto é que as famílias e amigos estão sofrendo pelas perdas em Nampula. O ambiente é de pesar, dor e luto.

O Ikweli conversou com algumas famílias, as quais estão revoltadas pelo incidente que tirou vida a seus parentes.

Dentre as vítimas mortais, o Ikweli apurou que, na sua maioria, eram profissionais competentes afectos a empresas públicas, professores, crianças e outros quadros.

Já no fim da noite do mesmo dia 11 de Setembro, o primeiro secretário da Frelimo em Nampula, Agostinho Trinta, falou a imprensa, lamentando a ocorrência. (Aunício da Silva e Celestino Manuel)