Por questões religiosas: Pais impedem menor de receber sangue e fogem do HCN

0
350
Crentes das testemunhas de Jeova proibem seus filhos em receber sangue no Hospital Central de Nampula

Nampula (IKWELI) – O Hospital Central de Nampula (HCN), no norte do país, registou na manha de ontem, terça-feira (22), um caso insólito em que uma menor de apenas 6 anos de idade que necessita de transfusão sanguínea foi raptada pelos próprios pais para evitar tal procedimentos por razões religiosas.

Segundo apurou o Ikweli, a menor deu entrada com o nível de hemoglobina fixado em 3.3 gramas, facto que imediatamente ditou que os médicos recomendassem a transfusão sanguínea, mas os seus pais, que professam a congregação Testemunhas de Jeová rebelaram-se contra a medida hospitalar e como alternativa fugiram com a menor.

O doutor Jaime Mepera foi quem recebeu a menor e explicou aos seus pais que o quadro não era dos melhores e que a alternativa era mesmo a transfusão sanguínea, mas estes recusaram-se, incluindo que nem se quer aceitaram que o médico pudesse abrir um processo atinente.

Este clínico disse que os pais da paciente disseram que o melhor a fazer era mesmo regressar a casa e esperar por uma resposta divina.

Os problemas de que a menor padece e que ditaram a perda de sangue estão ligados com questões financeiras, pois na casa onde ela mora, com a sua avó, as refeições são excepcionais.

O médico Jaime Mepera disse ao Ikweli que este não é o primeiro caso do género, e que nos últimos três anos a tendência é crescente, sobretudo de casos que vêm transferidos dos distritos.

“Essa não é a primeira vez que recebo casos como esse em que pais proíbem os seus filhos de seguir os procedimentos de medicação. É bastante lamentável porque devem existir mais pais e encarregados de educação que procedam de tal forma com os seus filhos e isso acrescenta, sem dúvidas, o índice de mortes de menores”.

O médico apela aos pastores e outros religiosos para que não transmitam estes procedimentos errados aos fiéis, sob risco permanente de colocar as suas vidas em risco.

“Eu sou religioso, conheço a bíblia e em nenhuma parte vem escrito tal coisa. Apelo a todos os pastores, de um modo particular os da congregação Testemunhas de Jeová, para que parem com isso”, disse a fonte para depois apelar para que “expliquem a verdadeira palavra de Deus pois, só assim, estaremos a evitar mortes”.

Voltando ao caso desta terça-feira, o doutor Mepera disse que “os pais dessa menor nunca tinham a levado ao hospital. Quando souberam que a criança deveria ser doada sangue negaram abrir processo e despistaram os técnicos de saúde, se colocando em fuga com a menor gravemente doente”. (Elisabeth José)