Termina a concessão da CDN – Porto na gestão do Porto de Nacala

0
1028

Nampula (IKWELI) – Termina no dia 10 do próximo mês de Janeiro de 2020 o vínculo contratual de concessão do Porto de Nacala entre a CDN – Porto e o governo de Moçambique, segundo um comunicado de imprensa da empresa enviado a nossa redacção.

A não continuidade da gestão pela CDN – Porto, de acordo com a mesma nota, “resulta de a necessidade do Governo reavaliar a estratégia de gestão e exploração das baias ao redor do Porto de Nacala e redefinir formas de exploração da Baia de Nacala, face ao seu potencial e oportunidades para o desenvolvimento”.

Assim sendo, sem a gestão do Porto de Nacala, as empresas do Corredor Nacala vão focar-se no seu principal negócio que é o de carga geral na ferrovia e o escoamento do carvão no porto multiusuário de Nacala-à-velha.

“Este posicionamento estratégico irá permitir o corredor: aumentar o volume, eficiência e eficácia na logística ferroviária de carga geral; potenciar o negócio principal do corredor e manter o seu compromisso de continuar a investir para o desenvolvimento das comunidades ao longo do Corredor Nacala, operando com altos padrões ambientais e respeito pelas comunidades”, lê-se no mesmo documento, cujo conteúdo temos vindo a citar.

“Com a não continuidade da gestão do Porto de Nacala, há necessidade das empresas do corredor enveredarem mais esforços ao negócio principal que é o escoamento e embarque do carvão, a partir de Tete ao porto multiusuário de Nacala-à-velha, e alavancar a potencialidade do transporte ferroviário da carga geral” – Explica Welington Soares, Presidente do Conselho de Administração (PCA) das empresas do Corredor Logístico de Nacala citado no comunicado em referência.

Durante os 15 anos de gestão do Porto de Nacala, a CDN contribuiu, visivelmente, para o desenvolvimento das infra-estruturas portuárias de Nacala, para além de assumir o protagonismo de ajudar a economia do país e desenvolvimento da região norte, em particular.

A empresa no âmbito de contribuir para o desenvolvimento local, investiu na contratação de mão-de-obra e de fornecedores locais para a prestação de vários serviços. Actualmente, a empresa apoia mais de 15 mil famílias em programas de geração de renda, com destaque para os projectos de agricultura, avicultura, pecuária e pesca.

Até 2018, a CDN-Porto contribuiu em mais de 58,4 milhões de dólares norte americanos em impostos para o Estado Moçambicano. Investiu em cerca de 20 milhões de dólares na aquisição de equipamentos portuários, para além de 11 milhões de dólares em custos indirectos no aluguer de equipamentos.

Por ser a empresa que valoriza a vida e coloca a segurança em primeiro lugar em todas as suas operações, a CDN investiu, também, na implantação de mecanismos de saúde e segurança no Porto e treinamento do seu pessoal directos e terceiros em saúde e segurança.

Efectivamente, a relação de trabalho entre as duas infra-estruturas (Porto e Ferrovia) vão continuar no âmbito intermodal de transporte e, sendo assim, a empresa reafirma o seu compromisso de continuar a trabalhar com altos padrões de saúde e segurança e desenvolver as comunidades no corredor de Nacala, através de implementação de programas que contribuam para a geração de renda da população, e o crescimento da economia nacional através das suas operações. (Redacção)