Suspeita de coronavírus: seis asiáticos colocados em quarentena em Nampula

0
1513

Nampula (IKWELI) – Seis cidadãos de origem asiática foram, desde a tarde da última sexta-feira (14), rastreados e colocados em quarentena cidade de Nampula, no norte de Moçambique, por suspeita de possíveis sintomas do coronavírus.

O Secretário do Estado de Nampula, Mety Gondola, foi quem avançou a informação, a margem da primeira reunião que manteve com a imprensa local.

Esta fonte não avançou sobre que tratamentos tiveram os outros passageiros que chegaram no mesmo voo em que se faziam transportar os cinco chineses e um sul coreano.

Os testes preliminares não apontam, se os cidadãos estão ou não infectados pelos vírus, mas Maty Gondola diz que o isolamento dos mesmos e a consequentemente submissão em quarentena visa evitar possível contaminação da doença a nível da província e posteriormente propagação pelo país.

O Secretário de Estado de Nampula diz ter acorrido ao Aeroporto Internacional de Nampula, com vista a presenciar in-loco o isolamento, referiu que os cidadãos, ora em quarentena, observaram o mesmo “ritual” nos seus países de origem, mas porque todo o cuidado é pouco tratou-se de se continuar com o processo.

“Não temos ainda uma situação de alarme, temos sim uma situação que todos nós devemos manter a vigilância e em prontidão para dar resposta a casos de ocorrência de situações anormais”, disse.

Continuando, a fonte explicou que os mesmos cidadãos de origem asiática um, neste caso o Coreano, “deram entrada na nossa província, passando por Singapura. Portanto, a sua vinda fez com que nós tivéssemos uma atenção especial. E os cinco chineses vieram via Quênia”.

Gondola fez saber que uma equipa de médicos está a monitorar a situação, fazendo acompanhamento aos cidadãos junto as suas residências. Ainda assim, o Secretario do Estado diz que este caso não constitui alarme a nível da província.

Contrariamente os 14 dias que é minimamente estabelecido, o Mety Gondola diz que estes poderão ficar em quarentena num período de um mês, alegadamente, por uma questão de precaução e prudência, e terão um acompanhamento dos profissionais da Saúde. Mesmo assim, ele fala de que a província está disponível em receber cidadãos estrangeiros.

Recorde-se que este é o primeiro caso de isolamento de cidadãos tanto nacional quanto internacional, na sequência das suspeitas de sintomas de coronavírus, uma epidemia que tem vindo a se alastrar um pouco por todo o mundo, na sua maioria nos países asiáticos.

O nosso jornal contactou ao chefe do Departamento da Saúde Publica, na direção provincial da Saúde, Américo Barata, para mais desenvolvimento sobre a situação actual dos cidadãos asiáticos, ora em quarentena em suas residências, mas estes prometeu se pronunciar ainda nesta semana, sem no então especificar as datas. (Sitoi Lutxeque)