Detido doador que traficava sangue no HCN

0
606
O jovem extorquia os pacientes em troca dos beneficios que tem como doador de sangue

Nampula (IKWELI) – Um cidadão que responde pelo nome de João Monteiro, por sinal doador de sangue no Hospital Central de Nampula (HCN), está sendo indiciado da prática de extorsão a pacientes em troca de sangue.

De acordo com as vítimas, o indiciado pululava pelos corredores da maior unidade sanitária do norte de Moçambique, e se oferecendo em doar o líquido vital para o paciente que necessita-se, bastando, para o efeito, os parentes do mesmo desembolsarem valores monetários.

A senhora Manjuma Atumane contou ao Ikweli que, estando com a sua criança no HCN e com falta de sangue foi lhe recomendada para contactar o Banco de Sangue da mesma unidade sanitária, mas para o seu azar deu com a cara do mafioso.

“Depois disso veio um senhor e disse-me para entregar-lhe os documentos. Eu, primeiramente, neguei, mas ele arrancou-me os documentos e disse que havia de ir buscar o sangue e trazer, em troca eu devia dar-lhe 400,00Mt (quatrocentos meticais). Não pensei nem duas vezes, tirei o dinheiro e entreguei-lhe porque estava aflita”, contou-nos esta fonte.

Na esperança de receber o sangue para a sua criança, a mãe teve de esperar pelo fornecedor por pouco mais de 7h horas, ou seja, das 13h as 20h. “Ele voltou sem sangue e prometendo que ia trazer”.

“Sempre que o médico questionava-me se a criança tinha recebido sangue, eu ficava sem resposta, mas mais tarde expliquei o que havia acontecido”, disse a vítima da burla do dador de sangue.

O indiciado defende-se que a sua pretensão era única e exclusivamente apoiar as famílias que precisavam de sangue, e nunca em troca ganhar algum valor monetário.

O substituto da directora clínica do HCN, Anselmo Vilanculos, explica que todos os doadores de sangue naquela unidade sanitária tem benefícios em resultado da prestação dada, e uma delas é a facilidade de os seus parentes terem acesso ao sangue quando necessário. (Celestino Manuel)