Matata desafia aos desportistas a serem activos no combate a covid-19

0
272
o administrador exige o envolvimento de todos no combate a pandemia

Nampula (IKWELI) – O administrador do distrito de   Nampula, Alfredo Matata, desafiou, recentemente, aos desportistas locais, num encontro por si orientado, a serem actores principais na disseminação de mensagem de prevenção da pandemia provocada pelo novo coronavírus, a covid-19.

O referido encontro acontece numa altura em que a situação de transmissão do coronavírus em Nampula, está quase fora do controlo das autoridades governamentais. Alias, segundo o ministro da Saúde de Moçambique, a província de Nampula encontra-se no nível de transmissão comunitária da pandemia de coronavírus tendo registado, até no último sábado, um cumulativo de 115 pessoas que acusaram positivo para a doença e um óbito.

Para Alfredo Matata, o envolvimento activo dos fazedores do desporto na luta contra o coronavírus, pode influenciar, positivamente, no cumprimento das recomendações constantes do decreto presidencial, tendo em conta a popularidade que estes têm nas comunidades.

“O nosso distrito está sendo um baluarte, por isso pedimos que a massa associativa do desporto, os jogadores em particular, façam o trabalho de mobilização em Namicopo, Muahivire, Natikiri, Anchilo, e em todos os bairros que compõem o distrito de Nampula”, referiu o administrador de Nampula, acrescentando que “é importante esse trabalho porque nós queremos a saúde de todos para que, passada essa doença, possamos retomar as nossas actividades desportivas, o mais importante neste momento é de tudo fazer para a saúde de todos”.

“Tivemos este encontro para que cada um reforce a sua capacidade de mobilização, para que seja o eco de comunicação que é para no bairro e ali onde reside informar os pais, os vizinhos, os nossos amigos que são jogadores, para que façamos um trabalho de monitorar este assunto. Não é só deixarmos com a polícia, nós também podemos aconselhar as pessoas que não usam máscara e aos que vendem produtos nos bairros, aos operadores de táxi – mota que realizam suas actividades sem o uso da máscara, assim como aos transportadores semi-colectivos que não observam com as medidas de prevenção contra covid-19”, precisou Alfredo Matata a imprensa.

Dirigindo-se aos desportistas Matata disse que “nós somos jovens desportistas, agora não estamos a jogar, mas vamos atacar o problema de coronavírus, quando passar vamos retomar os nossos trabalhos. Nós queremos que vocês tenham saúde, que todos nós tenhamos saúde, e esta doença de coronavírus, a maneira mais fácil de combater é adoptar medidas de prevenção, porque se estivermos doentes fica muito complicado a coisa. Ficar em casa, sair só e só quando for necessário, este é que tem que ser a nossa postura. Cada um de vós tem que ser actor principal, devem mobilizar, informar as pessoas, partindo de mamã e papá de que a situação é séria. Amigos jogadores, vamos trabalhar para a coisa passar, aqui em Nampula os números já estão a subir, para baixar depende do nosso trabalho”.

Na ocasião, os desportistas comprometeram-se em tudo fazer de forma a contribuir no combate da pandemia. “Nós que somos jovens, se chegarmos nas zonas devemos sensibilizar as pessoas, como ouvimos com o administrador, sensibilizar os nossos vizinhos e não só, porque esta doença ataca principalmente as vias respiratórias. O que estou a pedir, também, aos colegas, é que devemos fazer de tudo para pararmos com o que temos visto lá no bairro em que muitas pessoas estão nas bebedeiras, verifica-se, também, muitos aglomerados de jovens, aquilo deve terminar de forma a contribuir na prevenção desta doença e voltarmos às nossas actividades desportiva que tanto temos saudades de praticar”, disse Albano Júlio um treinador de futebol nos escalões inferiores, no bairro de Namicopo.

Assanito Alde, treinador de futebol no bairro de Namicopo, disse estar preocupado com existência de pessoas que ainda consideram a doença como uma simples diversão fazendo com que menosprezem as medidas de prevenção. “O meu bairro de Namicopo muitos são teimosos, acordam de madrugada e vão nos campos e, mesmo com a chegada das autoridades não querem ouvir. Muitos pensam que esta doença é uma brincadeira, mas nós como treinadores temos que falado para os jogadores para que parem com a actividade por algum tempo, para que a doença acabe. Apesar disso, vamos continuar a sensibilizar as pessoas, sobretudo os desportistas, para que sigam com as recomendações do governo sobre a prevenção desta doença”, disse o desportista.

“Vamos continuar a sensibilizar aos colegas e todos amantes do futebol para que possamos dar uma pausa temporária nas nossas actividades desportivas e atender esta doença que ameaça o país inteiro para que junto com o governo trabalhemos para superarmos esses desafios”, garante Bone Eusébio, representante do núcleo de futebol de Napipine.

Por seu turno, Abdul Hanane referiu que “se nós queremos voltar a jogar o mais rápido, então temos uma responsabilidade. O nosso administrador nos pede para fazermos a sensibilização, disseminação de mensagens que vem no decreto presidencial.  Temos que parar de jogar, sei que é doloroso deixar de fazer aquilo que tanto gostamos, mas este é o momento de sacrifício, é o momento de pararmos de jogar mesmo que gostemos. Por isso façam os exercícios físicos no vosso quintal. Pedirmos também ao governo para continuar a apertar o cerco no controlo das entradas e saídas de pessoas, porque se recuarmos a nossa cassete, Nampula foi uma das províncias que demorou de chegar o coronavírus, mas hoje Nampula está a concorrer para ser a província mais afectada isso porque nos últimos dois meses não cumprimos com as medidas anunciadas no decreto presidencial”, disse o presidente da Associação dos Treinadores de Futebol de Nampula.(Constantino Henriques)