Chefe do gabinete de Victor Borges constituído arguido pelo GPCC por não querer devolver viatura do estado

0
402
Edifico do gabinete de combate a corrupcao de Nampula

Nampula (IKWELI) – O chefe do antigo gabinete do então governador de Nampula, Victor Borges, foi constituído arguido pelo Gabinete Provincial de Combate a Corrupção de Nampula (GPCC), indiciado de apoderamento ilícito de uma viatura a coberto de um processo irregular de abate.

Domingos Nacohi, é co-arguido no processo nº 82/0301/P/GPCCN/2020, no qual, também, foram indiciados o antigo chefe da UGEA (Unidade Gestora de Aquisições) e mais outros 3 funcionários, perfazendo o total de cinco, todos afectos ao gabinete do governador.

Em colectiva de imprensa, realizada na manhã desta terça-feira (16), o porta-voz do GPCC de Nampula, José Sopa Wilson, disse que foram “recuperadas um total de cinco viaturas do estado, afectas ao gabinete do governador” cessante.

Igualmente, a fonte fez saber que “no dia 4 de Junho de 2020, 12:00 horas, na cidade de Nampula, foram detidos três cidadãos, dos quais, dois agentes da PRM (Polícia da República de Moçambique), indiciados na prática de crimes de corrupção activa e passiva. Os agentes da polícia, na altura, tinham detido um cidadão por violação do decreto que regula o estado de emergência em vigor, entretanto o cidadão entregou dinheiro aos agentes da autoridade, em troca de soltura”.

Sobre o aproveitamento de agentes da PRM ao estado de emergência para extorquir cidadãos, queixas são recorrentes, a respeito, em Nampula, ainda que a própria corporação não confirme os casos.

Professores desviam mais de cinco milhões de meticais

 O Doutor José Sopa Wilson, também, falou do processo número 25/0301/GPCCN/2020, no qual são indiciados de desvio de mais de cinco milhões de meticais 4 funcionários públicos afectos a Escola Primária Completa de Namigonha, no distrito de Nampula, entre os quais três professores e um auxiliar administrativo.

“Os cidadãos, sendo funcionários ligados ao sistema de pagamento de salários, de forma coordenada, alteraram as suas categorias no sistema e passaram a auferir acima das suas categorias profissionais, desde 2013”, anunciou o Dr. Wilson, para depois explicar que “um auxiliar administrativo passou a auferir salário de docente DN1, dois docentes DN3 passaram a auferir salários de docente DN1, e um docente DN4 passou a auferir salário de docente DN1”.

Por fim, o porta-voz do GPCC de Nampula, concluiu que “os mesmos funcionários alteraram as categorias profissionais de outros funcionários no sistema, que igualmente passaram a auferir salários acima das suas categorias, e no final de cada mês, davam parte dos seus rendimentos aos detidos, a título de gratificação”. (Aunício da Silva e Constantino Henriques)