Governador de Nampula está contra a reabertura das escolas antes da criação de condições apropriadas

0
192
Manuel Rodrigues nao quer arriscar a vida das crianças

Nampula (IKWELI) – O governador da província de Nampula, Manuel Rodrigues, defende a não reabertura das escolas, enquanto não forem criadas condições necessárias nos estabelecimentos de ensino, para evitar o surgimento de novos focos de contaminação pela covid-19.

Para Manuel Rodrigues, reabrir as escolas, numa altura em que Nampula continua sendo o epicentro de propagação do novo coronavírus, é pôr em risco a vida das crianças, quando tomada em consideração as precárias condições em que maior parte das escolas desta parcela moçambicana se encontram.

Por isso,  “mais do que a preparação para a reabertura das aulas, deve-se criar condições para que as escolas ou centros de ensino tenham as condições necessárias para a prevenção dos alunos, para que não haja situações de eles correrem o risco de contaminação e propagação rápida da covid-19”, disse Rodrigues, sublinhando que “temos que ter consciência de que, só com as condições criadas nos estabelecimentos de ensino é que se pode reabrir o processo de ensino e aprendizagem”, porque “caso contrário, nós estaríamos aqui a criar ainda mais problemas para a nossa província que já está em estado crítico de subida galopante de casos de coronavírus”, referiu.

Para monitorar o processo de preparação de condições nos estabelecimentos de ensino para a retoma das aulas, o governador de Nampula criou equipas multissectoriais composta pelas direcções Provinciais de Educação e de Infra-estruturas.

“Em segundo lugar, queria que em todos esses estabelecimentos de ensino o sistema de fornecimento de água esteja lá disponível porque, a parte fundamental para a prevenção e mitigação deste mal que se chama coronavírus é a higiene e, como sabem de que, as escolas que nós temos, tem tido turmas numerosas e um número de efectivo de alunos em determinado local sem as condições criadas, é um risco a partida para a propagação do coronavírus”, precisou o chefe do executivo provincial de Nampula.

“Vamos assumir com muita responsabilidade, vamos assumir com a determinação de que enquanto não tivermos condições, não vamos arriscar a vida dos nossos educandos”, reiterou a fonte.

A característica com que o coronavírus se propaga em Nampula é outro ponto que conduz ao governador Rodrigues a antever perigo iminente, com o provável regresso às aulas porque “como sabem, os alunos provêm de vários bairros da nossa cidade de Nampula e o foco de contaminação em Nampula é variado de bairro em bairro, portanto, cada contaminação não tem sido igual em todos bairros da nossa cidade de Nampula, algo igual aconteceria em outras cidades, outras vilas e distritos”, frisou Rodrigues.

“Temos que ter muita atenção a necessidade de criação de condições objectivas e seguras, para que os nossos filhos se sintam seguros e salvos, sem correr o risco de servir a escola como epicentro de contaminação do coronavírus. Portanto, sublinhar esse aspecto para que a implementação da terceira fase de estado de emergência, na nossa província de Nampula, seja feita com a necessária responsabilidade e também haja vigilância para que não haja mais contaminação”, concluiu.

De referir que as constatações de Manuel Rodrigues, foram feitas na última terça-feira (30 de Junho), no decurso da terceira sessão ordinária do Conselho Executivo provincial de Nampula alargada aos administradores distritais. Aliás, na ocasião, uma das inquietações dos administradores foi a falta de água nos estabelecimentos de ensino como que podia dificultar a reabertura das escolas. (Constantino Henriques)