Manuel Rodrigues promete “limpar” maus gestores escolares

0
424

Nampula (IKWELI) – O governador de Nampula, Manuel Rodrigues, mostra-se agastado com a persistência de maus gestores em algumas escolas da província, por considerar que os mesmos põem em causa o normal funcionamento dos estabelecimentos de ensino, e por conta disso, promete levar a cabo uma acção de responsabilização aos maus gestores.

A preocupação de Manuel Rodrigues foi manifestada nesta quarta-feira (29 de Julho), durante a visita que efectuou nas escolas secundárias públicas e privadas, ao nível da cidade de Nampula, no âmbito de monitoria e avaliação de criação de condições para o possível reinício do processo de ensino e aprendizagem.

“Estamos preocupados com algumas escolas, nós já estivemos em algumas escolas onde para além do movimento que estamos a criar ao nível nacional e provincial, em específico, de criação de condições por causa da covid-19 e a necessidade do reinício, mas há um problema grosseiro de deficiente gestão das nossas escolas”, começou por anotar Manuel Rodrigues, acrescentando que “nós vimos problemas que não têm nada a ver com saneamento. Vimos, por exemplo, lâmpadas que não funcionam, torneiras estragadas e a falta de limpeza nas casas de banho. Isso não tem a ver com o coronavírus, são problemas que derivam do desinteresse e desleixo por parte dos gestores de algumas das nossas escolas”.

Com estas contratações, o chefe do Conselho Executivo Provincial de Nampula disse, portanto, que “teremos que, escola por escola responsabilizar alguns gestores e, havendo necessidade, podemos até ir ao extremo de termos que fazer a lubrificação da máquina de gestão das nossas infra-estruturas escolares”, isso porque “a escola tem que ser um local exemplar, tem que ser ali onde o aluno quando vai aprende tudo, aprende do professor, em termos como é que ele faz a gestão, como é que ele vê o ambiente escolar e, também, aprende a ciência e a técnica. Portanto, é importante nós começarmos a ser implacáveis ao nível da província de Nampula para os maus gestores das escolas. Esta etapa de governacao que é muito exigente, a nossa população exige demais”.

De igual modo, Rodrigues chama atenção aos gestores escolares, a necessidade do uso racional e direccionado aos fundos alocados às escolas, no âmbito da covid-19. “Nós recomendamos para o uso criterioso e adequado dos recursos que estão sendo disponibilizados em todas escolas secundárias. Portanto, as escolas estão a receber os fundos, algumas já começaram a usar e, nós estamos a dizer para eles que não usem esses fundos para pagar as dívidas que têm, na compra de coisas que não têm nada a ver com o processo. Vamos usar o fundo para o destino que foi, efectivamente, definido ao nível do governo que é a criação de condições para o reinício do ensino e aprendizagem no nosso país, que é importante que os alunos voltem às escolas”, disse.

Manuel Rodrigues, na manhã de ontem, visitou as escolas secundárias 22 de Agosto, Paraíso do Céu, Instituto Criança, 12 de Outubro, bêabá, Consolata e Nampaco. Foi depois da visita a escola secundária de Nampaco que o primeiro governador eleito de Nampula se mostrou desgastado com as condições que viu nos mesmos estabelecimentos de ensino.

Em relação a criação de condições para o reinício das aulas ao nível das escolas visitadas, Manuel Rodrigues disse que “pensamos que há uma mistura de conclusão de que devemos tomar, tendo em conta que visitamos as escolas públicas e as privadas e, de uma forma geral, há um esforço de todas as estruturas das escolas para a criação de condições para o reinício do ensino presencial. Assistimos, portanto, o redimensionamento das salas de aula, a colocação do material de higiene nos recintos escolares tanto nos sanitários, há também reabilitação das infra-estruturas, portanto, o importante é que despertaram essa necessidade de que o ensino tem que ser feito em condições de saneamento adequado para não perigar as nossas crianças, isso é importante”. (Constantino Henriques)