Professor abusa sexualmente adolescente e tio viola sobrinha de 6 anos em Nampula

0
26
abuso sexual em Nampula contra menor

Nampula (IKWELI) – Um professor que exerce as suas funções na cidade da Ilha de Moçambique, no norte do país, é indiciado de ter abusado sexualmente a uma menor de 14 anos de idade no bairro de Napipine, na capital provincial de Nampula.

A menor em causa, ajudava a sua mãe no atendimento ao público na venda de bebidas alcoólicas na casa da família. Foi neste local que o violador levou a vítima para a casa de banho, local onde consumou o acto na última terça-feira (28).

A menor conta que “no primeiro dia quando ele [o professor] veio disse que queria namorar comigo, e eu neguei porque ele é um senhor grande.  Naquele dia, meu pai encontrou ele no quintal, zangou e lhe disse para não voltar”, para depois avançar que “no dia seguinte, ele voltou a me insistir. Levou-me para a casa de banho e disse que não iria me deixar sem fazer sexo comigo. Tirou-me a roupa e começou a me violar, sem parar. Eu não queria, ele me agrediu e insistiu-me, depois disse para eu não falar nada porque iria me fazer mal”.

A mãe da menor disse ter notado um movimento estranho quando o professor não parava de frequentar a sua casa em horas impróprias, alegadamente, porque vinha comprar e consumir bebidas alcoólicas.

“Naquele dia, eu estava doente e minha filha estava a ajudar-me a vender cervejas no quintal da nossa casa. O meu marido já tinha proibido a entrada daquele senhor aqui no quintal, foi aí que preferiu entrar de noite e levou a minha filha para fazer sexo. Eu ouvi gritos, e quando sai o professor fugiu”, disse a mãe da vítima, acrescentando que “a seguir eu não vi a minha filha bem, por isso lhe levei para o hospital”.

Segundo uma fonte policial, o autor já foi recolhido para as celas da corporação, aguardando pela tramitação do processo, a fim da sua responsabilização.

 

Mais duas menores violadas em Mutauanha

Já no bairro de Mutauanha, nos arredores da mesma cidade de Nampula, duas menores de cinco (5) e seis (6) anos, respectivamente, também, foram violadas sexualmente por um indivíduo de 18 anos de idade.

Este hediondo crime ocorreu na tarde do último domingo (26), quando os pais das vítimas tinham se ausentado para participar em cerimónias fúnebres. E para a guarda e segurança das duas crianças, os progenitores confiaram no violador.

O predador é tio (irmão da mãe) de uma das vítimas, a menor de 6 anos de idade, e vive na mesma casa.

Depois de chegar a sua casa, a senhora notou algo estranho na sua filha, sobretudo porque não parava de chorar e andava de forma anormal. Quando a questionou, ficou a saber que tinha sido violada sexualmente, incluindo a sua amiga de cinco anos, pelo tio.

Entretanto, após tomar conhecimento do assunto, a mãe da menor contou ao seu marido que, despreocupado, não tomou atenção do caso e nem denunciou as autoridades policiais, mesmo depois de notar sequelas na sua filha.

Da outra família, da menor de cinco anos, o Ikwelirecebeu a denúncia. “Eu saí de casa na manhã de domingo e deixei a minha filha a brincar com as amigas na casa vizinha onde foi violada. Quando regressei, e porque já era noite, não prestei atenção na minha filha. Só que às 19:00 horas da segunda-feira notei que ela chorava tanto e um pouco de sangue saía nos seus órgãos genitais, o que me deixou preocupada, e quando a perguntei ela revelou que um jovem manteve relações sexuais com ela”, disse uma das parentes da segunda vítima.

Ela prosseguiu que “quando fui me aperceber da situação a pessoa que violou a minha filha não me respondia nada, ainda por cima, o tio dele que, também, a filha foi violada desprezou a minha preocupação, motivo pelo qual me fez chamar o meu irmão e juntos fomos ao posto policial de Muthita para dar a queixa. De lá fomos orientados a ir ao hospital onde as análises deram a conhecer que ela foi violada”.

Outro membro da família disse ao Ikwelique os encarregados de educação do acusado tentaram, sem sucesso, negociar com a sua família para que o caso não fosse apresentado à polícia, temendo a sua responsabilização.

Um dos parentes do violador, também, confirmou a ocorrência ao Ikweli, afirmando que “eu, pessoalmente, confirmei através de consultas médicas que as duas crianças foram violadas sexualmente. Antes, quando perguntei ao meu primo, ele recusou ter violado as menores, mas mais tarde assumiu revelando que de certeza praticou o acto”.

O comando provincial da PRM em Nampula, através do chefe do Departamento de Relações Públicas, Dércio Samuel, confirmou a detenção do criminoso violador de menores. (Elisabeth José e Esmeraldo Boquisse)