Kenmare em Pilivili: Concluída a primeira e maior transferência de WCP em África

0
81
Concluida a transferencia da planta B da Kenmare de larde para moma

Nampula (IKWELI) – O Projecto das Areias Pesadas de Moma implementado pela Kenmare Moma Mining (Mauritius) Limited e Kenmare Moma Processing (Mauritius) Limited concluiu, com sucesso, na última sexta-feira (25), o processo da realocação da unidade de concentração húmido B (WCP B) do depósito de Namalope, no distrito de Larde, para o depósito de Pilivili, no distrito de Moma.

A cerimónia contou com a presença dos principais dirigentes da província, através do Conselho Executivo Provincial e o Conselho Provincial de Representação de Estado.

Manuel Rodrigues e Mety Gondola, principais dirigentes da província, se deslocaram para o limite entre as comunidades de Kaphula e Hori, respectivamente nos distritos de Larde e Moma, para testemunhar a entrada da Planta B para a sua nova zona de acção.

O processo compreendeu a movimentação de três equipamentos, especificamente uma draga, uma barcaça e a própria unidade de concentração húmida. O processo iniciou com o transporte da draga (com um peso de 1.700 toneladas), e de seguida avançaram a barcaça e a unidade de concentração húmida (com 7.000 toneladas).

“É uma grande honra e o privilégio testemunharmos, hoje, uma fase histórica, ímpar e jamais existente aqui no continente africano, que é o movimento de uma fábrica de um ponto para o outro. Como população da província de Nampula temos que nos orgulhar por testemunharmos este caso inédito desta grande operação mágica”, disse, na ocasião, Manuel Rodrigues, governador da província de Nampula.

Rodrigues reconheceu as operações da Kenmare “impactam na vida desta população maravilhosa aqui dos dois distritos, da província e do país de uma forma geral, porque irá melhorar as condições de vida”.

Num outro desenvolvimento, o primeiro governador eleito do maior círculo eleitoral do país avançou que a operação é “uma lição para todos, porque é uma operação que respeita os aspectos ambientais, é uma operação que significa demonstração da sustentabilidade de exploração de recursos minerais no nosso país e, certamente, estamos todos de parabéns”.

Chale Ossufo e Etide Fonseca, respectivamente, administradores dos distritos de Moma e Larde, também, não esconderam a sua satisfação, garantido que desempenharão o seu papel para viabilizar as operações da empresa, sobretudo para garantir que mais gente local tenha acesso a oportunidades de trabalho e de emprego.

O director geral da Kenmare em Moçambique, Higino Jamisse, disse que os trabalhos decorreram sem muitos sobressaltos, ainda que certos atrasos ditaram no aumento dos gastos para empresa.

Segundo a fonte, pelo menos, perto de 10% do orçamento poderá ser aumentado para garantir que nada falhe e que a 1 de Novembro próximo a nossa fábrica, em Pilivili (Moma), comece a funcionar sem sobressaltos.(Texto: Aunício da Silva *Fotos: Hermínio Raja)